Após 20 anos de lutas, prefeito Fabrício Baião cria Conselho Municipal de Cultura em Sapucaia

 

O prefeito de Sapucaia, Fabrício Baião, aprovou nesta quarta, dia 02 de outubro, a lei que cria o Conselho Municipal de Cultura, um  antigo anseio dos profissionais da área que só agora, no atual governo, foi colocado em prática. “Há mais de 20 anos, tenta-se montar este Conselho para a melhoria de nossa cultura e finalmente hoje esta realização foi concretizada”, declara Fabrício.

O Conselho Municipal de Cultura é um órgão colegiado, de caráter normativo, consultivo, deliberativo e orientador, que tem por objetivo institucionalizar a relação entre Administração Municipal e os setores da sociedade civil ligados à cultura, promovendo a participação destes setores na elaboração, na execução e na fiscalização da política cultural de Sapucaia.

Dentre as competências do Conselho, estão representar a sociedade junto ao poder público nos assuntos culturais; apresentar, discutir e dar parecer sobre projetos que tratam do desenvolvimento da cultura; incentivar o aperfeiçoamento e a valorização dos profissionais; apoiar o incremento de atividades culturais em diversas modalidades e categorias, em todos os bairros da cidade, inclusive para o idoso e portador de necessidades especiais, dentre outras.

O Conselho será composto por 11 conselheiros e seus suplentes, havendo um representante indicado pelo prefeito; um representante da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer; um representante da Secretaria de Educação; e um representante para cada um dos seguintes segmentos: teatro, audiovisual, música, dança, cultura popular, artesanato, artes plásticas, além de um representante da sociedade civil.

O mandato será de quatro anos, admitida uma recondução por igual período. São elegíveis a membros os candidatos nas áreas artístico-culturais e educacionais maiores de 18 anos que tenham atuação em atividades culturais e que sejam reconhecidos pela comunidade local como participantes, organizadores, produtores ou incentivadores da cultura.

A eleição dos membros se dará por meio de chamada pública em local e hora determinados pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. A função a ser exercida no Conselho é considerada serviço relevante e de utilidade pública, não sendo, portanto, remunerada.

Para o prefeito Fabrício Baião, a criação do Conselho é uma conquista para a cultura local: “Cultura proporciona criatividade e bem-estar, além de ser a expressão de seu povo. Devemos valorizar a nossa cultura, assim como os profissionais que atuam nela. Temos excelentes locais e grandes talentos na cidade que precisam ser cuidados e incentivados. Essa é a meta de nosso governo e temos demonstrado isso através das obras do Centro Cultural Magrácia, da sala de música, da Ladeira Sá Marina, do resgate do Festival Antense da Canção, da profissionalização dos artesãos. Queremos também, com o Conselho, aproximar a população das decisões sobre a cultura local”, afirma Fabrício.

 

Comunicação PMS

Arte: Sindiclei Baião