Prefeito de Sapucaia participa de encontro sobre a suspensão da política de incentivos fiscais

O prefeito de Sapucaia, Fabrício Baião, participou no dia 25 de maio de um encontro de prefeitos do Centro-Sul fluminense promovido pelo Sistema Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro – FIRJAN para debater os problemas criados a partir da suspensão da política de incentivos fiscais no estado. O evento contou com a participação de empresários da indústria e comércio, lideranças políticas e dos prefeitos dos municípios de Sapucaia, Carmo, Comendador Levy Gasparian, Miguel Pereira, Paraíba do Sul, Paty do Alferes, São José do Vale do Rio Preto e Três Rios.

Prefeitos e representantes das secretarias de Desenvolvimento, Indústria e Comércio ressaltaram a importância de novos investimentos para as cidades do interior do Rio e manifestaram preocupação com a situação financeira caso o cenário atual não mude. Articulando a união entre as lideranças municipais, Fabrício Baião falou sobre a importância da sensibilização dos deputados em prol de mudanças. O prefeito de Sapucaia acredita que a união dos prefeitos mostrará a força do interior e poderá provocar mudanças nas leis votadas pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ). “Essa briga não é só dos empresários, é nossa também. Vamos reunir prefeitos de outras regiões e conversar com os deputados para mostrar a importância dos incentivos fiscais para o interior do Rio. As nossas cidades e a população sofrem com esta decisão de proibir novos incentivos”, afirmou Baião.

De acordo com pesquisa do Sistema FIRJAN, nove entre dez empresas planejam fazer demissões e mais da metade encerraria as atividades no Rio de Janeiro caso os incentivos fiscais sejam suspensos. Para o presidente da Representação Regional da Federação no Centro-Sul Fluminense, Alceir José Corrêa, o objetivo agora é reunir o máximo de prefeitos do interior fluminense na busca de uma solução para a crise e sensibilizar os deputados pela revisão da suspensão do regime tributário diferenciado. “Quem está amargando a crise e a falta de novos investimentos é a população do interior. Aqui estão os empregos criados pela lei de incentivos e não na capital. Mas hoje se vê desemprego e nenhuma perspectiva. A FIRJAN tem participado ativamente em defesa das indústrias e continuará agindo pelo desenvolvimento econômico do Rio”, garantiu. De acordo com a entidade, a medida representa o risco de um novo ciclo de esvaziamento econômico no Estado, como ocorreu nos anos 1980.