Prefeitura de Sapucaia apresenta gastos relativos ao 3º quadrimestre de 2016

A Prefeitura de Sapucaia realizou no Plenário da Câmara Municipal, no dia 30 de agosto, uma audiência pública com objetivo de apresentar o relatório da demonstração e avaliação dos cumprimentos das metas fiscais do 3º quadrimestre de 2016.

O assunto foi debatido pelo presidente da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, vereador Luiz Gustavo Galluzzi; pelos membros da Comissão, vereadores Marcella Raposo e Maicon de Almeida Paschoal; pelo vice-prefeito municipal, Francisco de Assis Cavalcante da Silva (Chiquinho); pela diretora de Contabilidade e Finanças da Secretaria Municipal de Fazenda, Angélica Filgueiras Martins Sindrae pela secretária chefe da Controladoria Geral de Sapucaia, Angélica Wermelinger da Rosa, além dos vereadores Regina Alípio e Rildo Rodrigues.

O relatório apresentado, dentre outras coisas, demonstrou que no exercício de 2016 a despesa ultrapassou a receita do município, o que trouxe um déficit orçamentário de mais de R$4,5 milhões. A despesa alcançou o montante de R$ 71.389.357,60, enquanto a receita só chegou a R$ 66.843.664,90, ou seja, um déficit primário no exercício na ordem de R$ 4.545.692,70. Em linguagem clara e objetiva, ficou demonstrado que com uma receita corrente líquida no valor de R$ 59.538.947,80 e um gasto com pessoal da ordem de R$ 31.445.330,50, as contas do governo municipal fechariam mesmo no vermelho.

Com a manutenção e desenvolvimento do ensino foram empenhados apenas R$ 16.092.601,30, ou seja, um valor inferior ao mínimo de 25%, exigido por lei, que deveria ter sido gasto com a Educação da cidade. Foram recebidos mais de R$ 7 milhões só do FUNDEB, dos quais R$ 6.701.428,30, foram gastos com remuneração de profissionais do magistério.

No tocante às despesas com Saúde, o município gastou um total de R$ 15.153.013,60, com R$ 10.727.267,00 efetivamente gastos e mais R$ 4.425.746,60 de recursos recebidos do SUS, colocados em aplicações financeiras, o que representaram 21,13% de gastos em Saúde, ou seja, 6,13% a mais do que o mínimo exigido, que é de 15%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *