Prefeitura de Sapucaia realiza monitoramento e atendimento a pacientes no combate à Covid-19

A Vigilância Epidemiológica de Sapucaia, através de sua equipe de monitoramento, vem realizando um trabalho de rastreamento e acompanhamento de pacientes em parceria com unidades de saúde dos distritos do município. Nesta última semana, foram realizados diversos atendimentos, entre eles trabalhos em Jamapará, no Morro da Esperança e na comunidade do Quilombo. De acordo com a assistente social e coordenadora do monitoramento, Tania Tavares, a equipe é composta por profissionais da Secretaria de Saúde e também da Assistência Social, que estão ajudando muito o município neste momento tão difícil, tendo inclusive que usar seus próprios recursos tecnológicos.

A partir do momento em que o paciente apresenta sintomas da doença e é notificado na triagem, a Vigilância Epidemiológica passa a acompanhar o caso, entra em contato com a pessoa para colocá-la em isolamento domiciliar, agenda e realiza testes de detecção e passa também a monitorar a família do paciente, pois todos da casa também precisam manter o isolamento. O monitoramento é feito diariamente, por meio de telefonemas, e as visitas domiciliares realizadas quando necessário, de acordo com as demandas que vão surgindo. “Dentro deste trabalho, contamos com duas viaturas para transporte dos pacientes para atendimento médico e de enfermagem na triagem e para realização de exames complementares. Também fazemos uma consulta on-line com a médica do monitoramento para a devida liberação do isolamento, seguindo rigorosamente o protocolo estabelecido pelo médico infectologista do município”, afirma Tania Tavares.

Segundo a psicóloga da Prefeitura, Aline Vieira, também existem casos em que a Vigilância recebe denúncias de que as pessoas não estão cumprido o isolamento corretamente. “Então saímos a campo para conversar, ver o que está acontecendo com esta pessoa e se ela está com alguma dificuldade para manter-se em casa. Quando aparece um caso positivo em alguma empresa, também vamos até lá para explicar a situação ao responsável, orientar sobre o afastamento do funcionário e verificar a necessidade de testar mais pessoas, de acordo com o local em que o paciente trabalhava. Juntamente com um enfermeiro, fazemos testagem na própria unidade e todos os casos são monitorados e acompanhados”, declara Aline.

Quando o paciente não tem como se deslocar até a unidade de saúde para fazer o teste ou colher sangue, a Vigilância Epidemiológica vai até a casa dele para fazer este trabalho e orientar. “Infelizmente não temos como fazer isso com todas as pessoas do município, mas estamos dando o nosso melhor, trabalhando muito para testar e acompanhar os pacientes que apresentam sintomas ou tiveram contato com pessoas que foram detectadas com Covid-19, monitorando os pacientes até seu pronto restabelecimento”, afirma a psicóloga Aline Vieira.

Texto: Comunicação PMS
Fotos: Divulgação / Vigilância Epidemiológica

Skip to content